Depressão

O transtorno depressivo maior, mais conhecido como depressão é uma doença psíquica que causa sintomas como angústia, sensação de vazio, tristeza ou inutilidade.
Considerado como o “mal do século” pela Organização Mundial da Saúde (OMS), tal transtorno já atinge mais de 300 milhões de pessoas no mundo e, sendo mais comum em mulheres, é a maior causa de afastamento do trabalho no Brasil.

Situações como o desemprego, a pandemia e o isolamento compulsório, ou o luto pela perda de um familiar podem desencadear casos de depressão leve, moderada ou grave. Seja ela decorrente de fatores ambientais ou genéticos, essa doença “comum” pode ser muito severa, levando em casos mais extremos à morte.

Sinais e sintomas
• Baixa autoestima e sentimento de culpa;
• Cansaço extremo;
• Pensamentos pessimistas ou sobre a morte;
• Irritabilidade;
• Insônia ou sono excessivo;
• Dificuldade de concentração;
• Falta de interesse por atividades antes prazerosas;
• Sensação de impotência;
• Comportamentos compulsivos;

• Problemas ou disfunções sexuais.

Alguns fatores de risco também podem ajudar a desencadear a doença, como estresse crônico, disfunções hormonais, sedentarismo, uso excessivo da internet e redes sociais, enxaqueca crônica, vícios, entre outros. Por isso a prevenção pode ser uma aliada ao tentar evitar a doença, como: uma boa alimentação com alimentos ricos em ômega 3, como peixes, azeite de oliva, entre outros, que ajudam o cérebro a funcionar melhor. A vitamina D e exercícios físicos também são grandes aliados, auxiliando o corpo na liberação de neurotransmissores como serotonina e endorfina, que contribuem na redução do estresse e aumentam a sensação de bem-estar.

 

Uma relação interpessoal saudável baseada em confiança com amigos e familiares é igualmente importante.
Após o diagnóstico feito por um médico, considerando a genética, histórico do familiar e do paciente, e exames para descartar outras possíveis causas dos sintomas, o tratamento será feito em conjunto com psicólogo e psiquiatra, e dependendo do grau da doença, será feito o uso de medicamentos antidepressivos que ajudarão a reestabelecer a química cerebral.
É importante lembrar que a cada crise depressiva que o indivíduo passa, a chance de ocorrer outra posteriormente aumenta, por isso esse transtorno deve ser diagnosticado e tratado o mais rápido possível.
A boa notícia é que a depressão é um dos transtornos mentais mais tratáveis e com mais incidência de melhora durante e após o tratamento, sendo possível a fruição de uma vida normal e agradável.

Em caso de emergências ligue para 188 – Centro de Valorização da Vida, ou procure uma instituição de referência em saúde mental.

Sua vida importa e você não está sozinho.

Abraços,

Maíra A. Andrade

– Psicóloga – CRP ‪05/32352‬
– Diretora e Responsável técnica do NIDH
– Coordenadora na Comissão de Avaliação Psicológica no CRP/RJ
– Colaboradora na Comissão especial de Psicologia Organizacional e do Trabalho no CRP/RJ
– Colaboradora na Comissão de Orientação e Ética no CRP/RJ

 

Contatos:

📱‪(21) 97548-3811‬
📧 contato@nidhumano.com.br ‬

 

Locais de atendimento:

📍Ed. Metrópoles – Centro de Nova Iguaçu
📍Bairro Rancho Novo
📍 Saquarema
📍Barra da Tijuca

 

Leia Mais

Clima Organizacional

Um ambiente de trabalho com um bom clima organizacional, torna-se cada vez mais importante na hora de atrair e reter bons profissionais.
Um ambiente de trabalho adequado é essencial para otimizar as tarefas desempenhadas pela equipe, e atingir os resultados de cada área para o equilíbrio interno.
O clima organizacional é basicamente a junção de sentimentos e opiniões dos profissionais sobre o local de trabalho. Com base nesses sentimentos, as pessoas no ambiente de trabalho, vão reagir de uma determinada maneira às ações e demandas do dia a dia que acabam tendo um impacto positivo ou negativo na produtividade da empresa.
É importante que os gestores estejam atentos a quaisquer desvios negativos que possam afetar o ambiente da empresa, pois é impossível agradar a todos, mas deixar os profissionais aderirem a uma boa cultura organizacional ajudará a crescer os indivíduos e a empresa em si.
A importância do clima organizacional é que, investindo ativamente nele, a empresa pode lucrar com produção, engajamento, criatividade, motivação e retenção de talentos, reduzindo a rotatividade de pessoal, retrabalho, absenteísmo e conflitos internos.
O clima organizacional não é algo implantado na empresa. O cultivo dele deve ser realizado todos os dias e, independentemente de quaisquer sinais de desvio, medidas corretivas devem ser tomadas para evitar reações em cadeia negativas, o que faria com que se perdesse todos os resultados obtidos anteriormente.
Um bom ambiente interno não traz benefícios apenas aos profissionais e à empresa. Ele é o responsável pela saúde física e mental das pessoas, que quando valorizadas pela organização e pelos colegas, ficam motivadas e facilitam o relacionamento interpessoal.
Profissionais que trabalham em um ambiente saudável e mantêm um bom relacionamento interpessoal, são mais felizes do que pessoas que ganham altos salários, mas algumas empresas ainda não valorizam o ambiente interno e o clima organizacional, refletindo ativamente nos resultados pessoais dos funcionários e da empresa.
Para melhorar continuamente a atmosfera no ambiente de trabalho, é necessário um cronograma de medição.
Para isso, contamos com pesquisas de clima organizacional que, por meio de questionários respondidos pelos colaboradores, conseguem apresentar o que está dando certo e o que pode ser aprimorado no dia a dia da empresa.
Quer realizar uma pesquisa de clima organizacional na sua empresa? Entre em contato conosco e agende uma reunião.
Contatos:
📱‪(21) 97548-3811‬
📧 contato@nidhumano.com.br ‬
Leia Mais

Avaliação Psicológica para Cirurgia Bariátrica

O emagrecimento, para algumas pessoas, pode ser algo muito estressante principalmente depois de várias tentativas de dietas das mais diversas, desde as recomendadas por médicos e nutricionista até as recomendadas pela TV e amigos. O momento da tomada de decisão para a cirurgia bariátrica pode estar repleto de expectativas, muitas com fundamento mas outras disfuncionais.
Questões emocionais tanto podem estar envolvidas na causa como nas consequências da obesidade. A compulsão pela comida pode estar associada a vivencias com grande carga emocional que pode afetar tanto o obeso como afeta as pessoas que convivem com este que sofre com a dificuldade em emagrecer. O fato de não comer tudo o que gostaria, ou na quantidade que gostaria pode interferir nos relacionamentos principalmente quando a atividade social inclui almoços ou jantares.
A avaliação psicológica para cirurgia bariátrica tem caráter compulsório. Por tratar-se de um procedimento invasivo, que resulta em grande impacto na vida da pessoa, da sua família, parceiros, e grupos aos quais pertence; é importante que a(o) paciente também receba acompanhamento psicológico pré e pós-cirúrgico.
Toda avaliação psicológica deve ser realizada em consonância com os princípios e diretrizes profissionais e com as legislações específicas, devendo a(o) psicóloga(o) estar devidamente capacitado técnica e teoricamente para atuar.
Como estabelecido nas diretrizes gerais da avaliação psicológica, salienta-se que a avaliação psicológica é um processo amplo que não deve ser restrita à aplicação de testes. A(O) profissional deve realizar uma análise, considerando os fenômenos biopsicossociais do paciente com o objetivo de avaliar se ele possui recursos internos e suporte familiar para enfrentar não somente o procedimento cirúrgico, mas também todas as restrições e conflitos frequentes após a cirurgia.
Entre em contato e agende seu atendimento.
Contatos:
📱‪(21) 97548-3811‬
📧 contato@nidhumano.com.br ‬
Locais de atendimento:
📍Ed. Metrópoles – Centro de Nova Iguaçu
📍Bairro Rancho Novo
📍 Saquarema
📍Barra da Tijuca
Leia Mais

Programa de Desenvolvimento de Líderes

Ter bons líderes é um dos pilares do sucesso de uma empresa. No entanto, a oferta de profissionais prontos para cargos de gestão no mercado é muito escassa. Por isso, é fundamental que as organizações tenham um programa de desenvolvimento de liderança, com o intuito de treinar os próprios talentos para cuidarem do futuro da companhia.
Desenvolvimento de liderança é o conjunto de ferramentas usadas para aperfeiçoar as habilidades técnicas e comportamentais de um profissional em papel de liderança.
Para desenvolver bons líderes dentro da empresa é preciso muito planejamento e estratégia. Faça um mapeamento dos principais objetivos do negócio e avalie qual é o papel dos gestores na conquista dessas metas. No NIDH incluímos a avaliação psicológica para mapear características do colaborador com o objetivo de direcionar melhor suas potencialidades.
Responder questões como: “o que a nossa empresa espera de seus líderes?”, “o que diferencia um futuro gestor de um funcionário comum?” e “quais os critérios para identificar esse potencial de liderança?”, são fundamentais para o melhor direcionamento da liderança.
Após fazer essa análise, será possível escolher com precisão quais talentos da organização poderão se tornar gerentes e diretores no futuro.
Em um programa de desenvolvimento de liderança as ações devem ser contínuas. Se os estímulos ao funcionário forem isolados, sua formação como gestor será lenta e ineficiente. Sendo assim, crie métodos que façam sentido para os envolvidos e que possam ser aplicados em suas rotinas profissionais por um longo período.
Gostou do conteúdo de hoje? Não se esqueça de deixar um comentário com suas opiniões e dúvidas. Será um prazer conhecer suas experiências com desenvolvimento de lideranças!
Abraços,
Maíra A. Andrade
– Psicóloga – CRP ‪05/32352‬
– Diretora e Responsável técnica do NIDH
– Coordenadora na Comissão de Avaliação Psicológica no CRP/RJ
– Colaboradora na Comissão especial de Psicologia Organizacional e do Trabalho no CRP/RJ
– Colaboradora na Comissão de Orientação e Ética no CRP/RJ
Leia Mais

Transtorno de Personalidade Bipolar

O transtorno afetivo bipolar ou transtorno maníaco-depressivo é um distúrbio mental que atinge cerca de 140 milhões de pessoas no mundo, sendo homens ou mulheres, crianças, adolescentes ou adultos, e é considerada uma das principais causas de incapacidade, assim como a depressão. Essa patologia causa oscilações de humor e mudanças comportamentais frequentes que podem variar entre episódios (hipo)maníacos e episódios depressivos, ambos gerando uma gama de sintomas diferentes, que podem ocasionar enormes prejuízos físicos, psíquicos e sociais na vida da pessoa que a carrega, principalmente quando não diagnosticada e tratada.
Os episódios depressivos são caracterizados por sintomas como tristeza profunda, fadiga constante, perda de interesse por coisas que se costumava gostar, entre outros. Já no episódio maníaco são apresentados sintomas como agitação, euforia, agressividade, aumento do desejo sexual etc. Esses episódios de humor podem durar semanas, meses e até anos.
Sintomas da fase maníaca:
• Agitação, euforia e irritabilidade;
• Falta de sono;
• Comportamento agressivo;
• Tendência ao abuso de álcool e drogas;
• Falta de concentração;
• Fala muito rápida;
• Autoestima elevada;
• Comportamento incomum;
• Negação de que algo está errado;
• Aumento do desejo sexual.
Sintomas da fase depressiva:
• Tristeza, mau humor, ansiedade e pessimismo;
• Irritabilidade e agitação;
• Sono excessivo ou falta de sono;
• Alterações no apetite e peso;
• Pensamentos de suicídio e morte.
• Sentimento de culpa, inutilidade e desamparo;
• Sensação de fadiga constante;
• Perda de interesse por coisas que se gostava;
• Dificuldade de concentração;
• Dor crônica;
Tais sintomas podem se manifestar inesperadamente, em qualquer dia ou hora.
É importante lembrar que, apesar de pacientes mais experientes conseguirem perceber quando estão entrando em crise, nos tempos atuais de pandemia e isolamento, juntamente com o uso exagerado de internet e redes sociais, a chance de desencadear gatilhos para as pessoas com transtornos mentais é aumentada, por isso é necessário que haja cuidado e moderação no seu uso.
Como é feito o tratamento?
O tratamento deverá ser feito com medicamentos, psicoterapia e mudança de estilo de vida, como ter uma alimentação livre de substâncias psicoativas, sono regulado, prática de exercícios e evitação de situações estressoras.
Apesar das causas desconhecidas e de esse transtorno não ter cura, com o tratamento adequado e contínuo é possível ter uma vida normal de qualidade. Não deixe para depois, procure ajuda.
Abraços,
Maíra A. Andrade
– Psicóloga – CRP ‪05/32352‬
– Diretora e Responsável técnica do NIDH
– Coordenadora na Comissão de Avaliação Psicológica no CRP/RJ
– Colaboradora na Comissão especial de Psicologia Organizacional e do Trabalho no CRP/RJ
– Colaboradora na Comissão de Orientação e Ética no CRP/RJ
Leia Mais

Outplacement – Demissão humanizada em tempos de pandemia

A Covid-19 tornou o outplacement ainda mais importante para as empresas.
O outplacement pode ajudar demitidos a planejarem a carreira e obter sucesso na vida profissional. A demissão pode gerar inseguranças e ansiedades que precisam ser trabalhadas no outplacement.
A pandemia impactou todas as organizações e setores no mundo. Líderes de empresas enfrentam difíceis decisões sobre os colaboradores. É importante para as organizações garantir que aqueles que estão saindo do negócio contem com o apoio e a confiança para entrar em um mercado de trabalho em constante mudança.
Empresas que levam em consideração o processo de desligamento e a experiência do ex-colaborador após sair do seu time, se destacam no mercado. Mostram que se importam e têm empatia com os profissionais, independente do seu status dentro da organização (candidato, colaborador ou ex-colaborador).
Esse cuidado com a recolocação de uma pessoa que foi desligada é o que chamamos de outplacement.
Outplacement é o processo realizado para ajudar os colaboradores que encerram sua jornada profissional em uma empresa a se recolocar no mercado de trabalho. Um auxílio e orientação para que esse momento de recolocação seja mais fácil e rápido.
O principal objetivo é que a empresa proporcione ao colaborador desligado, treinamentos, direcionamentos, análises e elaboração de currículo, workshops, palestras de capacitação e desempenho, entre outras atividades.
É importante deixar claro que o outplacement não tem apenas o objetivo de recolocação profissional, mas também o de minimizar os impactos que o desligamento pode causar no colaborador, proporcionando todo o suporte emocional necessário.
A prática do outplacement é muito importante, principalmente para colaboradores que estão em uma empresa há muitos anos e acabam perdendo o contato com processos seletivos, entrevistas e tudo aquilo que envolve a busca por uma nova vaga no mercado de trabalho.
O NIDH oferece esse serviço de forma diferenciada no mercado, incluindo neste processo o mapeamento das competências através da avaliação psicológica para uma melhor recolocação do indivíduo.
Entre em contato e agende uma reunião.
Informações:
📱‪(21) 97548-3811‬
📧 contato@nidhumano.com.br ‬
Abraços,
Maíra A. Andrade
– Psicóloga – CRP ‪05/32352‬
– Diretora e Responsável técnica do NIDH
– Coordenadora na Comissão de Avaliação Psicológica no CRP/RJ
– Colaboradora na Comissão especial de Psicologia Organizacional e do Trabalho no CRP/RJ
– Colaboradora na Comissão de Orientação e Ética no CRP/RJ
Leia Mais

A importância da avaliação psicológica nos processos seletivos

Ao realizar um processo é preciso levar em consideração diversos aspectos. Que vão desde a análise do currículo e das experiências dos candidatos, até as habilidades e competências gerais. Contudo, não dá para ignorar a importância de explorar a forma de atuação do candidato em um âmbito mais profundo. É para isso, principalmente, que serve a avaliação psicológica nas organizações.
Os testes psicológicos são ferramentas de uso exclusivo do profissional da Psicologia e permitem o conhecimento mais aprofundado de alguns traços comportamentais e de personalidade dos avaliados.
A avaliação psicológica costuma fazer parte das primeiras etapas de seleção nas empresas.
Com base no resultado dos teste psicológico, o avaliador consegue perceber se o candidato tem o perfil para a vaga que almeja alcançar. O que torna o processo de seleção e recrutamento mais ágil e objetivo.
Além de identificar as características comportamentais, a avaliação psicológica nas organizações é um jeito de entender melhor as fragilidades e potenciais de quem pretende preencher a vaga.
Diante de um entendimento tão completo sobre o profissional e a sua personalidade, a avaliação psicológica nas organizações também é ideal para conhecer o chamado fit cultural. Basicamente, esse elemento corresponde à compatibilidade entre o perfil do candidato e a vaga.
O fato é que realizar a etapa faz com que o processo de recrutamento e seleção seja mais eficiente. Os decisores têm uma base de informações confiáveis e robustas para escolher quem deve ocupar o cargo.
Quando alguém se identifica com o cargo que ocupa e quando está em um bom ambiente de trabalho, é natural que fique mais tempo na empresa. Logo, o turnover ou índice de rotatividade é reduzido a médio e longo prazo.
Como consequência, há uma menor necessidade de realizar novos processos seletivos e, claro, redução nos custos de contratação e demissão.
Para realizar a etapa, é indicado contar com ajuda especializada. Ter o apoio de uma empresa do ramo garante segurança e eficiência, ao mesmo tempo em que reduz o investimento necessário em infraestrutura.
Abraços,
Maíra A. Andrade
– Psicóloga – CRP ‪05/32352‬
– Diretora e Responsável técnica do NIDH
– Coordenadora na Comissão de Avaliação Psicológica no CRP/RJ
– Colaboradora na Comissão especial de Psicologia Organizacional e do Trabalho no CRP/RJ
– Colaboradora na Comissão de Orientação e Ética no CRP/RJ
Leia Mais

TOD – Transtorno opositivo desafiador

  1. Crianças comumente passam por períodos de questionamentos e rebeldia, mas até onde isso é aceitável ou normal?
    O TOD é um dos transtornos de comportamento disruptivo – junto com TDAH e Transtorno de Conduta – que pode ser caracterizado por um padrão de comportamentos desafiadores, negativistas e desobedientes, de teimosia frequente, principalmente direcionado à pessoas hierarquicamente superiores ou autoridades, como pais, professores e cuidadores.
    Aparecendo ainda nos primeiros anos de vida, em torno dos 7 anos, o Transtorno Opositor Desafiador leva a criança a apresentar grande dificuldade de seguir regras, aceitar críticas ou ordens, responsabilizar-se por suas ações, trabalhar em grupo, e, na adolescência, é uma das causas capazes de levar a drogadição ou alcoolismo.
    Quais os principais sintomas de TOD?
    • Irritabilidade;
    • Culpar terceiros pelos seus erros;
    • Desobediência;
    • Desafiar regras e instruções;
    • Agitação;
    • Agressividade;
    • Discutir com adultos frequentemente;
    • Pode ser cruel e vingativo.
    Como diferenciar uma criança com TOD de uma criança rebelde?
    É importante se atentar à diferenciação pois os sintomas devem perdurar por mais de 6 meses e afetar diversos ambientes para caracterizar o transtorno, como a dificuldade de fazer amizade por conta de seu comportamento. Assim que há a constatação de tal, é necessário que haja tratamento psicoterápico e psiquiátrico, onde será decidido pelo uso de medicamentos ou não, além do acompanhamento. Esse tratamento, geralmente feito por TCC (Terapia Cognitivo Comportamental) usa técnicas que visam modificar comportamentos prejudiciais à criança, que afetam principalmente a vida social e acadêmica, ensinando novas condutas que sejam mais apropriadas e, consequentemente, mais saudáveis.
    Há outras formas de lidar com o TOD?
    Também pode ser indicada a terapia familiar como forma de ajudar os pais e outras pessoas que convivem com a criança/adolescente a lidar melhor com a situação.
    Com comportamento geralmente agressivo e hostil e inabilidade de aceitar explicações lógicas, a criança ou adolescente sofre grande perda na vida social e afetiva, pois muitas vezes para evitar constrangimentos, preconceitos e até bullying os pais preferem não os levar para eventos, algo que influencia grande e negativamente na vida da pessoa em geral.
    Não deixe para depois, quanto mais cedo diagnosticado o TOD, melhor será a qualidade de vida da criança.
    (Texto de Alessandra de Moraes)
    Contatos:
    📱‪(21) 97548-3811‬
    📧 contato@nidhumano.com.br ‬
    Locais de atendimento:
    📍Ed. Metrópoles – Centro de Nova Iguaçu
    📍Bairro Rancho Novo
    📍 Saquarema
    📍Barra da Tijuca
    Nos siga em nossas redes sociais:
    Instagram @nidhumano
    Facebook NIDH
Leia Mais

Assédio moral – ataques à saúde mental no trabalho

O assédio moral no trabalho é configurado quando um comportamento prolongado e abusivo ocorre em relação a um subordinado ou colega. Pode ocorrer por meio de palavras, atitudes, gestos ou alguma forma de comunicação abusiva.
Também há assédio indireto, quando acontece uma difamação ou isolamento, exclusão social ou qualquer outra medida que denigra a imagem da pessoa gratuitamente. O desejo do agressor é sempre prejudicar a figura do colega.
Ressaltamos que um fato isolado, ou seja, um pequeno desentendimento involuntário seguido de um pedido de desculpas é fato corriqueiro e pode acontecer em um ambiente coletivo. Isso não configura um caso de assédio, que consiste em algo persistente e mal-intencionado.
Há possibilidades de consequências emocionais e financeiras para a empresa, além de diversos outros prejuízos à imagem corporativa e à saúde psicológica da vítima. Casos de assédio podem gerar desmotivação, prejudicando diretamente a produtividade da pessoa e até da equipe. Outro prejuízo é a instabilidade emocional, a qual pode gerar decisões equivocadas ou atrasadas.
Emocionalmente, a vítima desenvolve problemas psicológicos mais graves como estresse e ansiedade, podendo até chegar a uma depressão e síndrome do pânico. Outros efeitos podem ser patológicos, como pressão alta, insônia, gastrite nervosa e palpitações.
Por parte da vítima, é muito importante que as agressões sejam combatidas no início para impedir esses problemas, sob pena de até chegar a casos mais severos como o suicídio. Como foi falado, a organização precisa combater esse tipo de conduta. Outros problemas envolvem até o abandono da função, o aumento da rotatividade e um clima organizacional pesado e prejudicial ao bom desempenho.
Veremos agora algumas das práticas propriamente ditas que configuram esse tipo de agressão:
1. Sobrecarga de tarefas
2. Rumores e comentários vexatórios
3. Vigia excessiva
4. Ameaças
5. Isolamento
6. Restrições injustificadas
É importante que a organização esteja sempre atenta a sinais de assédio entre colaboradores, especialmente os gestores de RH, que precisam adotar medidas de prevenção e conscientização da equipe a fim de evitar esse tipo de situação.
O assédio moral no trabalho é um assunto muito delicado e desagradável. É preciso criar uma conscientização nas pessoas para combater esse tipo de problema tanto em relação a chefes como subordinados.
Se você está passando por uma situação de assédio moral, denuncie o agressor. Procure outro superior hierárquico na empresa num primeiro momento. Caso isso não resolva, recorra à justiça. Nenhum ser humano merece ser alvo de um tipo de violência desleal como essa.
Abraços,
Maíra A. Andrade
– Psicóloga – CRP ‪05/32352‬
– Diretora e Responsável técnica do NIDH
– Coordenadora na Comissão de Avaliação Psicológica no CRP/RJ
– Colaboradora na Comissão especial de Psicologia Organizacional e do Trabalho no CRP/RJ
– Colaboradora na Comissão de Orientação e Ética no CRP/RJ
Contatos:
📱‪(21) 97548-3811‬
📧 contato@nidhumano.com.br ‬
Locais de atendimento:
📍Ed. Metrópoles – Centro de Nova Iguaçu
📍Bairro Rancho Novo
📍 Saquarema
📍Barra da Tijuca
Nos siga em nossas redes sociais:
Instagram @nidhumano
Facebook NIDH
Leia Mais